Artrodese de coluna via anterior ou Anterior lumbar interbody fusion (ALIF)

É uma cirurgia em que se aborda o disco e a coluna vertebral pela frente da coluna (do inglês – “anterior”).

O acesso mais convencional para a coluna lombar é a via posterior. Nos últimos anos, com advento de novas técnicas e materiais modernos que nos permitem manipular os discos pela frente da coluna, ficou mais simples e menos danoso e doloroso para o paciente a cirurgia da coluna.


Abaixo, você pode assistir a uma explicação que faço sobre esta técnica cirúrgica.

Para que serve a Artrodese de coluna via anterior?

Está indicado quando se quer tirar os discos e fundir os segmentos pela frente da coluna vertebral na região lombar.

Nos casos de hérnias recidivadas, quando foram feitas laminectomias extensas e precisamos reabordar o paciente, o ALIF esta muito bem indicado, pois não abordamos diretamente perto dos nervos e virtualmente eliminamos os riscos de danos às raízes nervosas.

Também em casos de deformidades na região lombo-sacral (flat-back, p.ex.) que se necessita ganho de altura discal e lordose lombar a via anterior é muito mais indicada.


Riscos da Artrodese de coluna via anterior

No ALIF, como abordamos por via retro peritoneal abdominal, lesões de vísceras são muito, mas muito raras.

Por outro lado, manipulamos os vasos inguinais retro peritoneais, portanto, lesões vasculares podem ocorrer. Por esta razão, o acesso é sempre indicado para um cirurgião vascular ou cirurgião de via de acesso experiente.

Nos homens pode ocorrer em 1-3% dos casos a ejaculação retrógrada, que consiste na dificuldade ou impossibilidade do esperma sair após a relação e acaba voltando para a urina. Por este motivo em homens deve-se reservar para casos bem indicados.

Técnica cirúrgica



Uma pequena incisão infra-umbilical de aproximadamente 5 cm nos dá acesso aos discos de L4 e de L5.

Os discos são expostos com pouco afastamento dos vasos inguinais e exposição da porção anterior do disco.

São retirados os discos e inseridos cages ou gaiolas para manter o espaço aberto e dentro deles colocamos osso do próprio paciente com o objetivo de fundir as vertebras.

Assim corrigimos a deformidade e descomprimimos os nervos de forma indireta.

Aspecto final da incisão para dois segmentos. Paciente consegue no mesmo dia se levantar e andar, com pouca dor na região abdominal.

Não provoca mais dor na coluna e permite mobilização precoce.

Voltar para Cirurgias de coluna.