Hérnia de disco

Hérnia de disco é a projeção da parte central do disco intervertebral (o núcleo pulposo) para além de seus limites normais (a parte externa do disco, o ânulo fibroso). Ocorre geralmente póstero-lateralmente, em virtude da falta de ligamentos que sustentem o disco nessa região.

O disco invertebral é uma placa cartilaginosa, que forma uma almofada entre os corpos vertebrais. Após traumatismo, quedas, acidentes automobilísticos, esforços ao se levantar etc, a cartilagem pode ser lesada, comprimindo raízes nervosas.

Em qualquer local da coluna pode haver hérnia de disco.

Estágios de formação da hérnia discal

Anatomia normal do disco

anatomia normal do disco vertebral




Núcleo central contido pela ânulo fibroso.

Raízes nervosas e canal central na porção posterior.

Ruptura discal interna

ruptura discal interna




Aqui se iniciam as protrusões, após uma fissura no ânulo fibroso, que retém o núcleo pulposo.

Protusão discal

protusão discal




Nesta situação, já existe a hérnia, contida ainda pelo ligamento posterior (hérnias protrusas).

Extrusão discal

extrusão discal




Neste exemplo, a herniação do núcleo rompeu o ligamento por completo, caracterizando uma extrusão discal (hérnia extrusa).

rupturas discais internas e extrusão discal



Fig. 1 e 2: Rupturas discais interna
Fig. 3: Extrusão discal

A maioria dos casos de hérnia ocorrem nos discos da região lombar.

Assista a um vídeo explicativo que gravei sobre este assunto:

Tendo uma crise de hérnia de disco? Clique aqui e saiba o que fazer para aliviar os sintomas.

Causas da Hérnia de Disco

A hérnia de disco tem como causas diversos fatores, sendo o genético e o esforço físico exagerado os principais. O tabagismo, a obesidade e o sedentarismo causam, indiretamente, pois promovem a perda de força muscular, o excesso de carga e a frouxidão ligamentar.

De qualquer maneira, quem tem histórico familiar não deve manter postura errada por longos períodos (ficar sentado ou em pé por muito tempo), evitar ao máximo carregar peso, e fazer movimentos de flexão/extensão lombar repetidos e de maneira incorreta (sem dobrar os joelhos) pois estes sim levam ao surgimento de hérnias de disco diretamente.

Por outro lado, há pacientes que nunca pegam peso, não fazem esforços físicos e, mesmo assim, adquirem hérnia de disco. As causas da hérnia de disco são multifatoriais e, na grande maioria das vezes, não podemos afirmar qual causa levou à sua formação.

Clique aqui e saiba prevenir o aparecimento da hérnia de disco.

Hérnia de disco lombar sintomas



localização do nervo ciático



  • Dor lombar, no quadril e nas coxas, irradiando-se para a panturrilha e o tornozelo (ciática clássica),
  • Dor acentuada ao espirrar, levantar peso etc. deformidade postural da coluna,
  • Dificuldade para andar e flexionar a coluna.

Algumas hérnias de disco podem ser tratadas sem a necessidade de cirurgia, no entanto, é necessário avaliar o tipo de hérnia. Existem diversos especialistas que realizam este tipo de cirurgia. Recomenda-se procurar um neurocirurgião que seja especialista em coluna para minimizarem as chances de sequela. As sequelas podem variar desde desvios ao andar, perda parcial dos movimentos até impotência sexual.

Tratamento para Hérnia de Disco

Além da cirurgia, que é sempre a última opção de tratamento para hérnia de disco (exceto raríssimas exceções), devemos sempre iniciar o tratamento da primeira crise com mudança nas atividades diárias, redução de peso, além de se evitar esforço físico desnecessário, principalmente, com a coluna. As mudanças das atividades incluem manter a boa postura, como evitar longos períodos sentado, além de evitar o sedentarismo e as atividades de impacto.

Redução de peso sempre ajuda a evitar stress e fadiga muscular na região lombar, aliando contraturas e excesso de carga no disco.

Manter atividades físicas sem impacto é recomendado desde que não haja prejuízo sintomático ou piora do quadro. Natação, hidroginástica e até caminhadas são os exercícios físicos mais indicados para quem tem hérnia de disco.

Medicamentos analgésicos são úteis em períodos curtos e em fases de crises exacerbadas, sendo proibido o seu uso constante, a fim de evitar seus malefícios e perda de efeito analgésico.

Caso não haja déficits neurológicos, este tratamento pode ser estendido por um período de 30 a 120 dias, dependendo de cada paciente, sendo que 70 a 80% dos casos de primeira crise de hérnia disco evoluem bem, sem a necessidade de cirurgia.

Fisioterapia motora, acupuntura, RPG podem ser úteis nesta fase, desde que o paciente tolere bem, sendo sempre paliativos. A hérnia de disco tem resolução espontânea com ou sem tratamento em até 70 a 80% dos casos.

Você sabe o que é Espondilolistese? Clique no link, e acesse a página sobre este assunto.