MIS TLIF – Artrodese minimamente invasiva

A Artrodese, atualmente, é feita por via percutânea ou minimamente invasiva, e é conhecida como MIS TLIF (Minimally Invasive Surgery – Transforaminal Lumbar Interbody Fusion). Não é uma técnica nova. Já existem diversos trabalhos na literatura que sustentam bom resultado com o MIS TLIF *.

São utilizados instrumentos canulados que permitem acesso sem cortar ou afastar a musculatura. Portanto, o sangramento, a dor pós-operatória e a recuperação são mínimos.

O MIS TLIF pode ser utilizado para todos os tipos de patologias degenerativas da coluna lombar baixa (L3 até S1) tais como Estenose do canal lombar, Hérnia de disco lombar, Discopatia degenerativa, Espondilolistese e até Escoliose degenerativa.

No vídeo abaixo, explico mais detalhadamente a cirurgia MIS TLIF:

 

Abaixo, exibo fotos de cirurgia por MIS TLIF, que visam a esclarecer a técnica. Apresento, no final, outro caso de Espondilolistese feita pela mesma técnica. A alta é precoce (1o dia de pós-operatório) e a recuperação (retorno às atividades) gira em torno de 20-30 dias.

1. Passagem dos fios-guia com agulhas.

MIS TLIF 1: passagem dos fios-guia com agulhas

2. As agulhas são passadas guiadas por raios-x intraoperatório.

MIS TLIF 2: agulhas passadas guiadas por raios-x

3. Retirada dos discos e inserção do enxerto ósseo com cage através do afastador tubular.

MIS TLIF 3: retirada dos discos e inserção do enxerto ósseo

4. Medição do espaço discal para inserção do cage com osso.

MIS TLIF 4: medição do espaço discal para inserção do cage com osso

5. Colocação do cage com enxerto ósseo no espaço discal.

MIS TLIF 5: colocação do cage com enxerto ósseo no espaço discal

6. Inserção dos parafusos canulados com as torres através dos fios-guia.

MIS TLIF 6: inserção dos parafusos canulados com as torres através dos fios-guia

7. Colocação das hastes de fixação.

MIS TLIF 7: colocação das hastes de fixação

8. Aspecto final de uma construção de dois níveis.

MIS TLIF 8 a: aspecto final de uma construção em dois níveis
MIS TLIF 8 b: aspecto final de uma construção em dois níveis

TLIF - "Transforaminal Lumbar Interbody Fusion"


TLIF


TLIF

Acima, ilustração da técnica TLIF, que é a mais utilizada atualmente para tratamento de hérnia de disco com Artrodese intersomática. Por esta técnica, podemos retirar completamente o núcleo pulposo (fig. esquerda), enxertar osso do próprio paciente (fig. direita) e fazer Artrodese por espaços intermusculares pequenos (minimamente invasiva), permitindo recuperação precoce e menos dor pós-operatória.

TLIF acesso em janela entre os nervos

O acesso para o disco com o TLIF é pequeno, e apenas uma janela entre os nervos é necessária para a remoção do disco e enxertia óssea. Por esta razão, é considerada uma cirurgia menos invasiva.

TLIF pequenos furos para introdução de instrumentos

Atualmente, por pequenas incisões e parafusos canulados, podemos realizar a mesma cirurgia sem cortes grandes, apenas através de pequenos furos para introdução dos instrumentos.

Apresentação de caso de Espondilolistese operada por via MIS TLIF

1. Introdução das agulhas para passagem dos fios-guia.

Espondilolistese operada por via MIS TLIF 1

2. Fios-guia colocados nos pedículos para introdução dos parafusos pela pele, sem incisões grandes.

Espondilolistese operada por via MIS TLIF 2

3. Uso do afastador tubular com iluminação para retirada do disco por via minimamente invasiva.

Espondilolistese operada por via MIS TLIF 3

4. Remoção da articulação para abertura do espaço para remoção do disco e posterior utilização como enxerto autólogo.

Espondilolistese operada por via MIS TLIF 4

5. Colocação dos parafusos com torres, que permitem o bloqueio pela pele, sem incisão grande.

Espondilolistese operada por via MIS TLIF 5

6. Implantação do Cage (gaiola) intersomática no espaço discal com enxerto ósseo autólogo para promover fusão óssea sólida. Nesta fase, evitamos o uso de enxerto artificial.

Espondilolistese operada por via MIS TLIF 6

7. Fase final de colocação das hastes e bloqueio.

Espondilolistese operada por via MIS TLIF 7

8a. Pré-operatório.

Espondilolistese operada por via MIS TLIF 8a

8b. Após correção.

Espondilolistese operada por via MIS TLIF 8b

9. Aspecto final de dois furinhos de 2cm.

Espondilolistese operada por via MIS TLIF 9

Veja abaixo a descrição do procedimento da cirurgia MIS TLIF.

(*) Referências bibliográficas:

Minimally Invasive Transforaminal Lumbar Interbody Fusion in the Outpatient Setting
Emami A, Faloon M, Issa K, Shafa E, Pourtaheri S, Sinha K, Hwang KS.
Orthopedics. 2016 Aug 1:1-5. doi: 10.3928/01477447-20160721-04

Minimally invasive transforaminal lumbosacral interbody fusion
Chang PY, Wang MY.
Neurosurg Focus. 2016 Jul;41 Video Suppl 1:1. doi: 10.3171/2016.2.FocusVid.1694.

Minimally invasive transforaminal lumbar interbody fusion-indications and clinical experience
Hari A, Krishna M, Rajagandhi S, Rajakumar DV.
Neurol India. 2016 May-Jun;64(3):444-54

Minimally Invasive Transforaminal Lumbar Interbody Fusion Using Expandable Technology: A Clinical and Radiographic Analysis of 50 Patients
Kim CW, Doerr TM, Luna IY, Joshua G, Shen SR, Fu X, Wu AM.
World Neurosurg. 2016 Jun;90:228-35

Minimally Invasive Transforaminal Lumbar Interbody Fusion for Isthmic Spondylolisthesis: In Situ Versus Reduction
Fan G, Gu G, Zhu Y, Guan X, Hu A, Wu X, Zhang H, He S.
World Neurosurg. 2016 Jun;90:580-587

Você sabe para quais casos a Nucleoplastia é indicada? Clique no link, e acesse a página sobre este assunto.